Esportes

Esportes (32)

Time não aproveitou inspiração de Borja e ficou sem os primeiros pontos no ano

 

Chegou ao fim a campanha de 100% de aproveitamento do Palmeiras no Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira (15), a equipe empatou com o Linense, no Allianz Parque, por 2 a 2. Em grande fase, Borja foi o autor dos gols alviverdes, mas Adalberto e Murilo Henrique igualaram o placar para a equipe visitante.

 

Apesar do tropeço, o Palmeiras continua com folga nas lideranças do Grupo C e da classificação geral do Paulista, com 19 pontos. O time conseguiu abrir sete de diferença para o vice-líder Corinthians, que perdeu para o São Bento na última quarta (14). Já o Linense está na 15ª posição geral, na zona do rebaixamento.

 

O Palmeiras voltará a jogar no domingo (18), contra a Ponte Preta, em Campinas --uma semana antes do clássico contra o Corinthians. 

 

Para o jogo, a grande novidade do Palmeiras foi a entrada de Alejandro Guerra no ataque, atuando aberto pela ponta direita no lugar de Willian. Com apenas três minutos, o meia mostrou que a opção de Roger Machado foi certeira. O venezuelano recebeu passe de Marcos Rocha, girou em cima da marcação e deu um lançamento de trivela para Borja, que ganhou na corrida de Adalberto e bateu de primeira para abrir o placar para a equipe alviverde.

 

Nos 10 minutos iniciais, o Palmeiras manteve o ritmo forte, mas não conseguiu ampliar o marcador por conta da marcação do Linense. Com o tempo, os visitantes se soltaram e tiveram boa chance com chute de fora da área de Marcão Silva, defendido por Jailson.

 

Mesmo sendo o destaque do jogo,  Borja teve participação no gol de empate do Linense. O camisa 9 cometeu falta e tomou cartão amarelo. No cruzamento, o zagueiro Adalberto encobriu Jailson com um cabeceio.

 

Borja deu mais uma mostra de que a sua confiança voltou no segundo tempo. Aos seis minutos, Marcos Rocha viu o colombiano passar e deu um lançamento rasteiro em sua direção. O atacante fintou o goleiro Victor Golas e, sem ângulo, ampliou o marcador.

 

Depois de um início de temporada conturbado e repleto de críticas, Borja se tornou o principal destaque do Palmeiras no mês. O atacante chegou à marca de quatro gols nos últimos três jogos. Com cinco gols no Paulista, ele divide a artilharia com Bruno Moraes, do Botafogo-SP.

 

O Linense, no entanto, voltou ao ataque e conseguiu o empate aos 29 minutos. De primeira, o meia Murilo Henrique acertou um chute forte, que desviou em Thiago Martins e entrou no canto direito.​

O Corinthians fez, talvez, sua pior atuação na temporada na noite desta quarta-feira, na volta da equipe ao estádio de Itaquera após quase três meses. Diante de um São Bento não tão inspirado, mas efetivo quando criou suas chances, o time alvinegro sofreu um gol em jogada de escanteio ainda no primeiro tempo, não conseguiu levar muito perigo ao gol de Rodrigo Viana e foi superado por 1 a 0 pela equipe de Sorocaba.

 

Com o resultado, o Corinthians estaciona nos 12 pontos conquistados no Estadual, perdendo sua segunda partida consecutiva no Campeonato Paulista. A liderança do Grupo A, no entanto, segue intacta para a equipe. Do outro lado, com os mesmos 12 pontos, o Bentão é o vice-líder do B, atrás apenas do Palmeiras.

 

Na próxima rodada, os comandados de Fábio Carille terão pela frente a equipe do Red Bull, na segunda-feira, dia 19, em duelo marcado para as 20h (de Brasília), no Moisés Lucarelli, em Campinas. Um dia antes, no domingo, os sorocabanos recebem o Botafogo-SP no estádio Walter Ribeiro, às 19h30 (de Brasília).

 

Corinthians erra muito e São Bento aproveita

O Corinthians que entrou em campo em Itaquera não parecia nem aquele time que perdeu para o Santo André, na sexta-feira. Com dificuldades para acertar passes no campo ofensivo, o time da casa não foi capaz de deixar os seus finalizadores em boa condição para fazer o gol em nenhum momento, mesmo com as atuações em bom nível de Rodriguinho e Marquinhos Gabriel, comandando o setor ofensivo.

O primeiro lance de perigo veio em linda enfiada de bola do armador para Júnior Dutra, que invadiu a área nas costas de Régis Souza e cruzou rasteiro para Romero, mas o paraguaio não conseguiu alcançar. Pouco depois, Marquinhos Gabriel encarou a marcação de Marcelo Cordeiro, cortou para o pé esquerdo e bateu cruzado, mandando a bola rente à trave direita do goleiro Rodrigo Viana.

 

Quando o jogo parecia entrar em modo de espera, sem grandes ações de ataque das equipes, o Corinthians tomou um golpe forte. Lucas Crispim cobrou escanteio pelo lado esquerdo na primeira trave, João Paulo passou com facilidade pelo bloqueio de Rodriguinho e conseguiu testar livre, sem chances de defesa para Cássio. Foi o primeiro gol sofrido pela equipe em bolas paradas nos jogos oficiais deste ano, problema recorrente na reta final de 2017.

O gol fez com que o Corinthians voltasse à carga com mais força, aproveitando os espaços deixados pelo time do interior. Os lances, porém, sempre terminaram com os pontas procurando chutes da entrada da área e sendo travados pela marcação adversária. No melhor deles, com Jadson, a bola desviou na marcação de Luizão e quase enganou o goleiro Rodrigo Viana, mas acabou indo para fora.

 

Corinthians "abafa", mas não marca

Carille optou por voltar ao segundo tempo com a mesma formação do primeiro, apostando nos treinos realizados durante o Carnaval. A falta de precisão dos seus jogadores, no entanto, impediu qualquer evolução natural da formação, mais uma vez esbarrando em muitos erros de passe. Para melhorar esse quesito, o treinador promoveu a entrada de Camacho na vaga de Jadson, em sua pior jornada no ano.

Mais organizado, o Corinthians passou a rodar a bola lado a lado e contou com a entrada de Clayson para ser mais incisivo pelo lado esquerdo. O tempo, porém, seguia passando e nada de um grande lance de perigo dos donos da casa. Foi aí que a torcida explodiu ao ver Danilo ser chamado para entrar em campo, fazendo sua estreia na temporada. Com a missão de dar mais presença de área ao time, ele substituiu Gabriel.

 

O lance perigoso, no entanto, saiu justamente para o lado dos visitantes, que adotaram postura mais defensiva e diminuíram os espaços. Em bola roubada pelo lado direito, Régis Souza invadiu a área, deixou Clayson na saudade e cruzou rasteiro para Léo Itaperuna. Sem goleiro, o meia finalizou para fora e manteve o time alvinegro com chances na partida, apostando sempre na base do "abafa".

Depois de muito esperar, elas vieram. A primeira com Romero, aos 41 minutos, aproveitando cruzamento de Rodriguinho e cabeceando forte para defesa de Viana. Depois, aos 45, Balbuena aproveitou falta cobrada na área, desviou com o pé direito e também parou no goleiro, que evitou o empate e provocou uma festa digna de título para os sorocabanos, que se ajoelharam e se abraçaram no renovado gramado de Itaquera.

 

Fonte: Lance

Equipes fazem o jogo de ida das oitavas de final nesta quarta-feira (14)

 

Com uma fase complicada e o cargo ameaçado, Zinedine Zidane tentou, em entrevista coletiva, amenizar a pressão para o duelo contra o Paris Saint-Germain nesta quarta-feira (14), no Santiago Bernabéu. Pela imprensa e torcedores, o confronto é tratado como uma final antecipada, mas o francês teve mais cautela.

 

- Não é uma final para mim, é uma partida de Champions League. Se você joga bem, você tem mais chances. Será uma eliminatória 50 a 50%. Todos possuem chances. Nós não temos pressão, pelo contrário. Nós amamos esses jogos. Agora, se o PSG tem pressão, eu não sei - disse Zizou. 

 

Uma das maiores preocupações dos madrilenhos para este embate é Neymar, que vive ótimo momento no PSG. Zidane, no entanto, desconversou e preferiu não revelar como será a marcação para cima do brasileiro. A bola rola às 17h45 (de Brasília) para o jogo.

- Não sei se preciso responder a essa pergunta. Desculpe. O importante são os jogadores. Mas não vou dizer nada sobre a montagem da equipe - afirmou.

– Cristiano Ronaldo e Neymar são dois grandes jogadores, mas amanhã é Real Madrid contra o PSG. Cristiano conseguiu coisas extraordinárias e não vou comparar agora. Neymar também, por tudo o que ele faz no campo, nós já conhecemos. Queremos ver um duelo entre eles, mas entre as equipes – completou. 

Em entrevista exclusiva ao GloboEsporte.com, técnico explica que não houve conversa sobre valores e garante afastamento do futebol no primeiro semestre de 2018

 
Cuca era o escolhido pela diretoria do Atlético-MG para assumir o comando técnico do time. Quem revelou a preferência foi Alexandre Gallo, diretor de futebol do clube, que disse ter conversado com o técnico nesta segunda. O GloboEsporte.com conversou de forma exclusiva com o treinador, que confirmou o contato e a recusa, garantiu que não houve nenhuma conversa antes de domingo e fez questão de deixar claro que o único motivo para o "não" foi a Copa da Rússia. Ele já tem passagens compradas para ele e a família e vai acompanhar o Mundial "a lazer e a trabalho".
 

Alguns veículos de comunicação de Belo Horizonte publicaram, no último sábado, que o técnico havia recusado uma proposta do Alvinegro. Além disso, muito se falou sobre fatores financeiros que poderiam complicar as tratativas. Cuca garantiu que as partes não chegaram a discutir valores e cravou: não vai trabalhar antes da Copa da Rússia.

 

Veja a entrevista exclusiva com o treinador

 

GloboEsporte.com: No início desse sábado, você e o seu empresário garantiram que não tinham conversado com o Atlético-MG. Nesta segunda, Alexandre Gallo veio a público explicar a negociação e a recusa da sua parte. O que houve de lá para cá?

Cuca: Ontem (domingo) uma pessoa ligada ao Atlético falou comigo. Hoje (segunda) eu conversei com o Gallo por aproximadamente meia hora. Meu episódio com o Atlético foi esse, mais nada. Quando eu escutei falarem "o Cuca pediu muito para vir para o Galo, o Cuca recusou o convite do Galo", já falei: "Eu não vou". Tenho bilhete comprado para a Rússia, para mim, para minha mulher e minhas duas filhas. É a primeira vez na vida que vou viajar com minha família. Vou viajar a lazer e a trabalho também. Quero curtir a Copa. Depois da Copa, se as coisas andarem bem, vamos trabalhar. Vamos deixar as coisas acontecerem de forma natural. Foi isso que falei ontem com a pessoa do Galo que me ligou e foi o que falei com o Gallo hoje, quando ele me ligou. O que tenho para falar é isso. O resto é tudo "fofoquinha", coisa que não tem a ver com nada.

 

Houve conversa de alguém do clube com você na sexta-feira?

- Não, não procede. Não teve conversa comigo na sexta-feira, não houve proposta nenhuma para mim, nem proposta minha para o clube. Não começamos a negociar (valores) porque tenho a viagem agendada para o meio do ano.

A Copa da Rússia, então, foi o único motivo da recusa?

- Foi a única coisa, senão eu teria aberto negociação com o Atlético e não teria problema nenhum. É um lugar que eu gosto muito. Foi só isso. Se não dermos um basta nisso, ficam falando muitas coisas que não são verdadeiras.

Você pode cravar que não vai trabalhar em nenhum clube antes da Copa?

- Não vou trabalhar até lá. Vou cumprir o combinado com minha família. É a primeira vez ao longo da minha vida que vou poder viajar com minha família e, ao mesmo tempo, estar trabalhando, porque é o que você faz em uma Copa do Mundo, ver também se aparecem coisas novas.

 

O que você diria para o torcedor atleticano neste momento?

- A última coisa que ia me prender ou deixar de me levar para o Atlético é o dinheiro. A última coisa. Eu jamais faria isso. Eu não tive proposta e não fiz proposta para o Atlético devido a essa situação especificamente.

Técnico mudou o posicionamento de Felipe Melo e Tchê Tchê para corrigir os problemas que vinha tendo com o Mirassol. Jogada de Lucas Lima em cima da linha foi chave, diz ele

 

Roger diz que a boa atuação do Mirassol valorizou a vitória do Palmeiras, neste sábado, por 2 a 0. Para o treinador, dois fatores pesaram no resultado: a jogada que Lucas Lima salvou em cima da linha, além da mudança de posicionamento da dupla Felipe Melo e Tchê Tchê.

 

O Mirassol desde o primeiro minuto propôs marcar a nossa saída de bola muito forte, sem centroavante, como eu joguei em alguns momentos e senti um pouco na pele o que é. A partir do nosso gol e a mudança na estrutura tática, tirando o Felipe (Melo) da entrelinha e posicionando uma linha de quatro, com Lucas e Borja na frente, tiramos um pouco os espaços do Mirassol - analisou o treinador. 
O Palmeiras joga no 4-1-4-1, com Felipe Melo à frente da defesa. Diante das dificuldades para sair jogando, Roger pediu para que Tchê Tchê passasse a atuar ao lado do camisa 30, com Dudu e Willian abertos, além de Lucas Lima e Borja à frente. Esta alteração fez o Mirassol jogar de forma diferente.

 

Com um pouco mais de espaço para nós jogarmos, porque o adversário teve de propor um pouco mais, conseguimos ter novamente o controle nas mãos. Foi uma atuação segura, madura, de um time em evolução, mas a gente sabe que futebol é ingrato. Se a bola do Mirassol entra, se o Lucas não tira em cima da linha, o jogo poderia ter outro panorama. Futebol é apaixonante também por causa disso - acrescentou. 

Com 18 pontos em 18 possíveis, o Palmeiras chegou à metade da fase classificatória com 100% de aproveitamento. O time lidera o grupo D e a classificação geral, que tem influência nos mandos de campo do mata-mata. O elenco recebeu folga no domingo e segunda e se reapresenta na terça. O próximo jogo será quinta, contra o Linense, no Allianz Parque.

Denis Vieri, de 34 anos, disse ter passado por Vasco e Santos, além de ter atuado na Europa

 

Um caso BIZARRO veio à tona no futebol do Rio Grande do Norte. De acordo com reportagem do Globoesporte.com, um suposto jogador chamado Denis Vieira da Silva, conhecido também como Denis Vieri, de 34 anos, acertou com o Força e Luz, lanterna do Campeonato Potiguar, após enganar o clube.

 

Denis Vieri diz ter passado por clubes como Vasco, Santos, PSV (Holanda) e Shakhtar Donetsk (Ucrânia). Mas não há registro algum da passagem dele por essas equipes.

Em contato com a reportagem do GE do Rio Grande do Norte, Denis enviou imagens que comprovariam que ele atuou por esses gigantes através de um suposto assessor, que no fim das contas, pareceu ser ele mesmo. Pois o contato da mensagem - via WhatsApp - aponta que o perfil era do próprio jogador.

No vídeo enviado por Denis, que seria para provar que ele defendeu o Santos, o jogador em questão é um homônimo. Trata-se de Denis Oliveira Souza, que está aposentado desde 2011 e por sinal tem a mesma idade do tal “Vieri”. Além disso, ambos são mineiros e laterais-direito.

 

À reportagem, ele ainda disse ter sido afastado do Santos por Vanderlei Luxemburgo, treinador do Peixe na época de sua suposta passagem.

“Eu sou uma pessoa que me imponho mesmo, eu falo o que eu tenho que achar que falar. E eu e o Vanderlei (Luxemburgo), a gente discutiu várias vezes. Eu queria jogar, eu tinha 22, 23 anos. E quando você não tem oportunidade no clube, você acaba treinando separado. Entra, por exemplo, no teu currículo, campeão paulista, mas você não jogou. E quem jogou foi o outro. Aí você pesquisa o nome de um e sai o outro, mas não é. Aí você clica na foto e a foto é do cara. Eu não joguei. Está no currículo, mas eu não joguei”, contou Denis Vieri.

Em 2014, ele protagonizou uma situação semelhante ao assinar com o Gavião Kyikatejê, clube de origem indígena e do Pará. Mas ao surgir diante do treinador Vitor Jaime, Denis Vieri foi mandado embora por estar “gordo".

Além disso tudo, Denis disse ter jogador também no Bolívar, da Bolívia, em 2017. Entretanto, não existe registro da passagem dele pela equipe.

“Eu estive naquele time da Bolívia lá agora. Eu tenho que mandar para você, porque eu estive lá dois meses. Chegando a pré-Libertadores lá, meu filho nasceu. E isso é uma coisa de família. Ele nasceu com uma deficiência física. No Bolívar, lembrei agora. Inclusive o zagueiro era até o Alex Conceição. Então, eu fiquei lá três meses e não quis os outros oito, nove meses de contrato por isso”, afirmou.

O presidente do Luz e Força, Ranilson Cristino, disse que foi procurado por Denis Vieri, que se ofereceu ao clube. O suposto jogador ainda levou quatro jogadores com ele.

“Na foto que ele enviou na conversa para ele vir para o Força e Luz, a gente viu a diferença, mas a gente tem que acreditar nas pessoas. Eu acertei a vinda dele trazendo mais quatro jogadores, com as posições que nós tínhamos necessidades. Mas com o compromisso de que, se não fosse aquilo que estava pensando, não ficaria. Não custa nada arriscar. O Jocian (novo treinador), que está assumindo, vai observar. Se não for, viaja amanhã (quarta-feira) mesmo. Não vai esquentar lugar, não. Se eu fui enganado, ele que se enganou. Não vai me enganar, não”, disse Ranilson à reportagem.

Após a matéria publicada pela edição potiguar do Globoesporte.com, Denis Vieri desapareceu do Força e Luz.

Entidade divulgou os jogos na tarde desta terça-feira (6); Figueirense estreia em casa e Avaí fora

 

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) divulgou na tarde desta terça-feira (6) a tabela de jogos da série B do campeonato brasileiro. Ao contrário da séria A, que vai parar durante a Copa do Mundo da Rússia, a segundona prevê cinco rodadas.

O Figueirense estreia em casa, dia 13 ou 14 de maio, diante do Juventude-RS. O Avaí, por outro lado, viaja à Goiás para encarar o Vila Nova também entre 13 ou 14 de maio.

O clássico de Florianópolis, aliás, acontece já na primeira parte da competição, na quinta rodada. A data, no entanto, ainda não foi confirmada.

Primeiros jogos da dupla: 

Figueirense x Juventude

Goiás x Figueirense

Figueirense x Boa Esporte-MG

Brasil-RS x Figueirense

Figueirense x Avaí

 

Vila Nova-GO x Avaí

Avaí x Brasil-RS

Juventude-RS x Avaí

Avaí x São Bento-SP

Figueirense x Avaí

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em um momento em que luta para se capitalizar, a Caixa Econômica Federal ameaça executar as garantias do empréstimo para a construção do estádio Arena Corinthians, decisão que o clube está tentando reverter.

 

A dívida do Corinthians com o banco está em mais de R$ 1 bilhão (o empréstimo inicial foi de R$ 400 milhões), e entre as garantias está o Parque São Jorge, sede do clube.

 

Segundo a reportagem apurou, a nova diretoria do clube procurou o banco nesta segunda-feira (5) para tentar reduzir a chance de execução das garantias.

 

Procurado, o banco afirmou, através de sua assessoria de imprensa, que não comentaria o tema.

 

Conforme reportagem publicada pela Folha de S.Paulo, a Caixa avaliou como grande a possibilidade de levar calote do Corinthians no acordo de pagamento pelo empréstimo para a construção do estádio.

 

O clube recebeu do banco uma das piores notas na avaliação interna de riscos, segundo e-mails confidenciais, aos quais a Folha de S.Paulo teve acesso, em auditoria externa realizada pelo escritório Pinheiro Neto Advogados e agora em posse do Ministério Público Federal.

 

A estatal classificou o clube com a nota "E", com "capacidade para arcar com o compromisso bastante limitada", em análise sobre a proposta de reestruturação da operação de crédito da arena.

 

A troca de mensagens debate sobre um eventual acordo para a volta do pagamento das parcelas pelo empréstimo de R$ 400 milhões feito para a construção do estádio corintiano, por meio de recursos do programa do BNDES Pró-Copa Arenas.

 

O estádio foi inaugurado em 2013 e usado na abertura da Copa do Mundo, no ano seguinte.

A Caixa também se mostrou incomodada com o negócio. "A proposta advém de um cenário de constantes frustrações e descumprimentos no âmbito da operação (...), não estão sendo atendido as premissas de receitas, custas e despesas (...), fica evidente que o fluxo de caixa atual do projeto será incapaz de honrar com os compromissos financeiros da Arena".

 

CAPITALIZAÇÃO

A negociação acontece em meio à necessidade de capitalização pela Caixa. O banco precisa de cerca de R$ 6 bilhões neste ano para se enquadrar dentro das regras de instituições financeiras mais sólidas para assumir riscos.

A cúpula do banco, mantendo o plano estabelecido ainda no ano passado, descarta o uso de qualquer ajuda financeira externa, como repasse do Tesouro Nacional ou do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

O plano de contingência, já aprovado, traça como fontes de recursos para atingir os R$ 6 bilhões uma emissão externa de bônus, a venda de carteiras atraentes e a preservação de uma política mais rígida na distribuição de dividendo aos acionistas, no caso, o governo federal.

 

Em resposta, a diretoria divulgou a seguinte nota:

 

"A diretoria do Sport Club Corinthians Paulista, representada por Luís Paulo Rosenberg, manteve conversas com a diretoria da Caixa durante toda a tarde. O clube já procura colocar o endividamento referente à construção da Arena Corinthians em ordem o mais rápido possível, e as negociações prosseguirão também com a Odebrecht. O clima entre todas as partes é muito favorável, e o respeito é mútuo. O clube reforça ainda que não foi demonstrada, em momento algum, truculência por parte da Caixa com ameaças sobre o Parque São Jorge. O clube manterá as corinthianas e os corinthianos informados na medida dos avanços nas negociações."

A organização do Torneio de Quito confirmou neste domingo a programação da chave principal do ATP 250 equatoriano. E a agenda de duelos do torneio prevê a presença de Thomaz Bellucci em quadra nesta segunda-feira em partida contra o dominicano Victor Estrella Burgos, atual tricampeão da competição e que superou o brasileiro em suas três campanhas vitoriosas no evento realizado em quadras de saibro.

 

O duelo diante do seu algoz vai marcar o retorno do tenista brasileiro às quadras após cinco meses afastado. O paulista de Tietê inicialmente ficou sem jogar sob a justificativa de que estava se recuperando de uma lesão no tendão de Aquiles, mas depois soube-se que ele não poderia retornar antes do dia 1º de fevereiro devido a uma suspensão aplicada por envolvimento em um caso de doping.

 

Sem jogar desde o último US Open, em agosto, Bellucci recebeu uma pena de cinco meses após ser reprovado em um exame antidoping, em caso revelado apenas no final do ano passado. Ele testou positivo para a substância hidroclorotiazida em exame antidoping realizado no dia 18 de julho, quando disputava o ATP 250 de Bastad, na Suécia, onde foi eliminado na estreia.

 

A substância encontrada no teste é proibida pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), mas o brasileiro escapou de levar uma suspensão maior após alegar que ingeriu de forma não intencional um multivitamínico com contaminação cruzada. Ele enviou frascos deste produto para análise em laboratórios dos Estados Unidos e Canadá, que comprovaram a contaminação em diversos frascos. Mesmo assim, foi suspenso por cinco meses pela Federação Internacional de Tênis, que viu certa parcela de culpa do brasileiro neste caso.

 

E agora Bellucci comemora o fato de que finalmente poderá voltar a jogar. "Estou super motivado. Estava sentindo falta de viajar, de ter essa adrenalina de competição e de estar no meio da galera", ressaltou o brasileiro neste domingo, quando também admitiu que não será nada fácil estrear contra Victor Estrella Burgos.

 

"Certamente é uma estreia muito dura. Ele defende o título, já ganhou três vezes aqui e joga muito bem nessas condições. Mas, ao mesmo tempo eu quero curtir e desfrutar dessa minha volta. A pressão está mais do lado dele do que para o meu, já que ele nunca perdeu aqui. O meu objetivo é entrar em quadra, dar o meu melhor e lutar até o último ponto", ressaltou Bellucci, que travou duas semifinais contra o dominicano e foi derrotado na final da competição em 2016.

 

O jogo de Bellucci está programado para começar por volta das 21h30 (horário de Brasília) desta segunda-feira, para quando também está programada a estreia de Rogério Dutra Silva, o atual número 1 do Brasil no ranking, que abrirá campanha diante do eslovaco Andrej Martin, que veio do qualifying da competição, às 17h (de Brasília).

 

 

Treinador conta com compreensão dos torcedores, que reclamaram em substituição

 

O técnico do Palmeiras, Roger Machado, viu sua equipe alcançar neste domingo a quinta vitória em cinco jogos na temporada. Desta vez, a vítima foi o Santos, no primeiro clássico do ano: 2 a 1 na arena. O comandante alviverde elogiou o rendimento da equipe – que buscou os três pontos com gols de Antônio Carlos e Borja.

– Passamos com bastante propriedade, mesmo tendo um adversário bastante forte do outro lado – disse o técnico.

 

Mas Roger também teve momentos de incômodo. Ele não gostou de ver murmúrios da torcida em momentos de substituição – por exemplo, na entrada de Bruno Henrique no lugar de Tchê Tchê. E fez um pedido aos torcedores: que tentem evitar isso.

– Vai um pedido ao torcedor. Quando chamei o Bruno (Henrique) para entrar, essa energia, de esperar que entre outro jogador, atrapalha um pouco nosso jogador. Preciso que o torcedor abrace todos nossos jogadores. É um ano novo. Os atletas estão muito motivados para dar muita alegria ao torcedor.

 

O técnico aproveitou para celebrar o gol marcado por Borja, que tem sua condição de titular contestada.

- Nesta semana, fui muito questionado em função disso, se ele merecia ou não permanecer em campo. A gente apostou na permanência dele, e ele fez um belo jogo coletivamente e definiu com um gol. Sem dúvida, isso gera confiança, otimismo. A tendência é de que entre mais leve, mais solto, e todo mundo ganha com isso. Fiquei fez com o gol do Miguel (Borja). Não foi à toa que todos os atletas foram abraçá-lo. Eles sabem do esforço que ele está fazendo para justificar o investimento na contratação dele.

 

Expectativa para o primeiro clássico

– O clássico tem vários elementos. Externei para os atletas que também tinha muita curiosidade.

Disputa tática

– A questão da força é diferente da estratégia. Ao marcar alto e conseguir seu gol, você muda a estratégia e oferece um pouco mais de campo para aproveitar os contra-ataques. Tivemos um pouco de dificuldade em encaixar a marcação no campo do Santos porque nosso tripé de meio estava afundando quando o Renato entrava na linha. Faltava uma das asas para a gente pressionar o adversário. Em alguns momentos, o Borja ficou sozinho, e fica difícil pressionar. (...) A gente conseguiu entrar mais no campo, pressionou, criou oportunidades. O Santos tinha uma boa metida de bola para o Copete. Era importante a gente estar preparado para quando essa bola viajasse pelo alto e disputar a primeira ou a segunda bola. A estratégia do jogo se molda com o que o adversário oferece.

Formar um time titular

– Também quero trabalhar jogo a jogo. Nesse momento, os jogadores que estão entrando em campo são os que começaram hoje. Se no ano passado não se conseguia identificar (um time titular), agora é importante ter uma base. Se não acontecerem as coisas, serei cobrado. Permiti ter um entrosamento com 11 e repeti-los, mas entendo que há muitos profissionais brigando por uma vaga e é preciso manter esses profissionais motivados, com possibilidade de entrar em campo. A gente vai em cima da navalha, dando ritmo de jogo e possibilitando oportunidade a quem não pode entrar.

 

Superioridade do elenco palmeirense

– Ter um elenco de qualidade não vai te dar 50% a mais de possibilidade. Vai te dar vantagem competitiva de ter um elenco recheado de bons talentos. Isso não passa de 10%. O que dá vantagem é ter um time competitivo e com variação dentro do próprio jogo. Não espere que vamos golear em todos os jogos. Vamos fazer a diferença com jogadores de qualidade e manter ou elevar o nível de acordo com a necessidade do jogo.

Possibilidade de variar o time titular

– Hoje, o campeonato não tem nada definido. Acumulamos uma gordura que se não continuarmos no ascendente, podemos perder. Não gosto da palavra teste. É importante manter todo meu grupo motivado, oportunizando momento que eles entrem em campo. Tudo é possível. É importante também dar sequência que gera entrosamento.

 

 

---

 

Mesmo com a vitória, ainda percebe-se que o Borja precisa fazer mais pois teve várias oportunidades e ainda não está afinado com o gol e seus companheiros de equipe no palmeira estão dando todo o apoio necessário, mesmo com a superioridade em campo o time do Palmeiras parecia um pouco lento em vista de um Santos acoado e sem grandes chances de ir à frente para fazer gol.

 

Fonte: globo.com

Publicidade

 

« Fevereiro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28        

© 2017 - Grupo Interativo Negócios | Jornal Sumaré | Jornal Interativo Cidades | Site Interativo

Rua Maria Elizabeth Menuzzo, 423 Sala 7 CEP 13.615-715 Sumaré/SP

Fones: (19) 3384-6388 / 99283-6239 Whatsapp

E-mail: contato@jornalsumare.com.br

 

Edições semanais com 5 mil exemplares distribuídos em 175 pontos em toda cidade,
Em supermercados, bancas de revistas e jornais e algumas empresas.