O Campeonato Brasileiro finalmente não tem mais nenhum time invicto.

 

Mesmo jogando em casa e diante do então vice-lanterna, o Corinthians foi mal, só conseguiu criar chances nas bolas aéreas e acabou derrotado por 1 a 0 pelo Vitória.

O colombiano Tréllez, em um contra-ataque ainda aos 11 minutos do primeiro tempo, marcou o único gol da partida.

A derrota marca o fim de uma invencibilidade incrível de exatos cinco meses do Corinthians – a última derrota tinha sido em 19 de março, para a Ferroviária, ainda no Campeonato Paulista.

Foram 34 partidas neste período, com 21 vitórias e 13 empates. O suficiente para transformar o time no único da história dos pontos corridos a terminar o primeiro turno invicto. E também para ser a segunda maior sequência invicta da história do clube perdendo apenas para as 37 partidas em 1957.

Mesmo perdendo, o Corinthians segue líder e com oito pontos de vantagem para os rivais – agora com o mesmo número de jogos, já que a equipe corintiana não atuou pela última rodada.

O próximo compromisso alvinegro é na quarta-feira, fora de casa, contra a Chapecoense, justamente nesta partida adiada.

 

Do outro lado, o Vitória chega as 22 pontos e ultrapassa o Avaí, mas segue na zona de rebaixamento.

O próximo jogo rubro-negro é só na segunda-feira dia 28 de agosto, contra  o Coritiba, de novo fora de casa.

 

A tônica da partida foi definida logo de cara.

Depois de duas semanas sem atuar e com toda torcida a favor, o Corinthians começou o jogo tentando ir para cima. O Vitória, porém, mostrou logo que poderia incomodar nos contra-ataques.

 

O aviso veio com sete minutos, em um perigoso cruzamento de Juninho pela esquerda que obrigou Pedro Henrique a aparecer na hora certa para afastar pela linha de lado.

Aos 11, o Corinthians não conseguiu se salvar. Neílton foi quem puxou o contra-ataque desta vez, segurou a bola o máximo que pôde e rolou com perfeição para Tréllez chegar batendo de primeira. A bola ainda desviou em Guilherme Arana e matou de vez o goleiro Cássio.

 

Atrás no placar, o Corinthians se lançou ainda mais ao ataque.

A primeira boa chance veio com Rodriguinho, em um chute da entrada da área que parou em boa defesa de Fernando Miguel.

 

Depois, a reclamação ficou com a arbitragem. Aos 19, em novo chute de Rodriguinho, a bola sobrou no meio da área e Jô tentou alcançá-la, mas acabou caindo na chegada de Kanu. O replay até mostrou o zagueiro acertando a perna do corintiano, mas o juiz mandou o lance seguir.

 

  • Pelo alto

O Corinthians tentou mostrar tranquilidade para criar as jogadas, mas só conseguiu criar boas chances por cima.

Aos 30, até balançou a rede. Após cobrança de escanteio de Fagner, Balbuena desviou e Romero mandou para o gol. O paraguaio, porém, estava em posição de impedimento e o lance foi invalidado.

 

Dez minutos depois, o zagueiro paraguaio teve a melhor chance, de novo em cruzamento de Fagner. Desta vez, ele ficou sozinho na área e tentou a cabeçada direto para o gol, mas acabou errando o alvo.

Aos 47, foi a vez de Jô, meio desajeitado, desviar um cruzamento de cabeça. A bola foi no cantinho, mas Fernando Miguel se esticou todo para fazer a defesa. Na sequência, a bola ainda sobrou para Rodriguinho, mas o meio-campista finalizou para fora.

 

  • Impedido?

Se o Corinthians reclamou do pênalti no primeiro tempo, o Vitória pode reclamar bastante de um gol mal anulado no segundo.

Logo aos 4 minutos, na sequência de um escanteio, Caíque ficou com a bola na direita pela intermediária e colocou na área. Kanu apareceu sozinho na segunda trave para, de peixinho, mandar a bola para a rede. O bandeirinha marcou impedimento, mas Rodriguinho, no canto de baixo do campo, dava condições de jogo.

 

  • Lá e cá

O Vitória se fechou ainda mais no segundo tempo, e o Corinthians teve muitas dificuldades para criar chances de gol.

Aos 11, Rodriguinho tentou encobrir Fernando Miguel, que saiu mal do gol, mas acabou mandando por cima.

 

Depois, o time alvinegro só voltou a criar aos 24, em mais uma jogada aérea. E dessa vez com uma grande intervenção do goleiro do time baiano. Após cruzamento de Rodriguinho, Jô desviou de cabeça, mas Fernando Miguel fez linda defesa.

No contra-ataque, o Vitória quase matou o jogo. Invertendo as funções do lance no primeiro tempo, Tréllez puxou pela direita e rolou para Neílton, que ficou de frente para finalizar. A bola não saiu muito forte e parou em boa defesa de Cássio.

 

  • Sem inspiração

O dia não era mesmo do Corinthians.

O líder do campeonato mal conseguiu criar chances e insistiu em bolas cruzadas na área. Nenhuma, porém, achou alguém livre para finalizar.

 

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 0 X 1 VITÓRIA

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 19 de agosto de 2017, sábado
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Eduardo Tomaz Valadão (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva e Cristian Passos Sorence (Ambos de GO)
Público: 42.075 pagantes
Renda: R$ 2.580.574,90
Cartões amarelos: Balbuena (Corinthians); Ramon, Filipe Soutto (Vitória)
Gol: VITÓRIA: Tréllez, aos 12 minutos do primeiro tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena (Jadson), Pedro Henrique e Guilherme Arana (Moisés); Gabriel, Maycon, Romero (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho e Clayson; Jô. Técnico: Fábio Carille

VITÓRIA: Fernando Miguel; Caíque Sá, Kanu, Wallace e Juninho; Ramon, Uillian Correia, David (Patric) e Yago (Filipe Soutto); Neilton (Carlos Eduardo) e Tréllez. Técnico: Vágner Mancini

Publicado em Esportes

Como estava livre para acertar um vínculo prévio com outra equipe, o defensor também despertou interesse do Corinthians

por Agência Estado

 

São Paulo, SP, 15 - O Palmeiras já está perto de ter o primeiro reforço para 2018. O clube se aproximou nesta terça-feira de um acordo com o zagueiro Emerson Santos, do Botafogo. O defensor de 22 anos tem vínculo com o time carioca até o fim do ano e vai assinar um pré-contrato com o Alviverde em breve. A transferência será sem custos. A informação foi publicada pelo portal UOL e confirmada pelo Estado.

 

Como estava livre para acertar um vínculo prévio com outra equipe, o defensor também despertou interesse do Corinthians. O clube líder do Campeonato Brasileiro decidiu não avançar nas conversas pois como Pablo está em fase final de recuperação lesão, assim como Vilson, a diretoria achou desnecessário se empenhar na contratação.

 

O Palmeiras, por sua vez, aproveitou a oportunidade e aguarda o zagueiro. Por ser jovem e com potencial de revenda, Emerson Santos se enquadra na política de contratações da diretoria. O clube também se precavê antecipadamente da saída de Mina. O colombiano tem acordo prévio com o Barcelona para se transferir à Espanha logo depois da Copa do Mundo da Rússia.

 

 

Atualmente o técnico Cuca conta para a posição de zagueiro Mina, Edu Dracena, que estão no clube desde o ano passado, mais Luan, Juninho e Antônio Carlos, todos contratados nesta temporada.

Publicado em Esportes

A quarta-feira (16) de futebol pelo Brasil promete muito, principalmente pelos dois jogos de ida das semifinais da Copa do Brasil, que terão seu pontapé inicial. A grande expectativa para as partidas está no banco de reservas, com direito à um estreante, uma promessa e até a um duelo caseiro.

Começamos pelo confronto carioca. No Estádio Nilton Santos, Botafogo e Flamengo começam a decidir uma vaga na final. De um lado estará Jair Ventura, uma promessa no universo dos treinadores, e do outro Reinaldo Rueda, um técnico consagrado e que fará sua estreia logo em um duelo tão decisivo.

Antes mesmo dos dois se encontrarem, o confronto entre eles já ganhou um tempero especial pela declaração de Jair Ventura, em entrevista à Fox Sports. O comandante polemizou ao comentar sobre a chegada de Rueda. "Parece que não temos profissionais capacitados aqui. Está tirando o lugar de outros", disse Jair. Resta saber como será esse primeiro encontro entre eles na noite desta quarta-feira.

 

Duelo caseiro em Porto Alegre

 

A outra semifinal será entre Cruzeiro e Grêmio e começará a ser disputada na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Neste jogo teremos um encontro de treinadores gaúchos. Do lado do time de Minas teremos Mano Menezes, enquanto que do outro lado tem Renato Gaúcho.

Apesar dos treinadores terem a mesma escola, o momento vivido por cada um não é o mesmo. Renato vive grande momento. O Grêmio é vice-líder da principal competição do País, está na semi da Copa do Brasil e nas quartas da Libertadores. E o trabalho do comandante é exaltado sempre, principalmente por implementar um toque de bola envolvente no Tricolor.

Mano está em situação oposta, mesmo com o Cruzeiro estando na semifinal da Copa do Brasil e fazendo campanha razoável no Brasileirão. O comandante tem o seu trabalho questionado e não é muito querido pelos torcedores. Quem será que leva a melhor neste confronto?

 

 

 

 

Publicado em Esportes

© 2017 - Grupo Interativo Negócios | Jornal Sumaré | Jornal Interativo Cidades | Site Interativo | The Best App 2017