Segunda, 23 Abril 2018 15:36

Embrapa Meio Ambiente (SP), em parceria com a empresa Magnojet, desenvolveu um acessório de eletrificação de gotas para ser usado em pulverizadores costais comuns. A solução leva a tecnologia de pulverização eletrostática, até então dependente de altos investimentos, ao pequeno produtor rural.

 

Outro equipamento da mesma área amplia a aplicação dessa tecnologia às espécies arbóreas. Voltado a pulverizadores turbinados, esse acessório foi criado por meio de parceria com a empresa FM Copling e permite que cafezais e pomares também recebam químicos por eletrostática, economizando insumos e reduzindo impactos ambientais. Os dois lançamentos serão apresentados na abertura da 25ª edição da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow-2018), em Ribeirão Preto (SP).

 

“São tecnologias capazes de modernizar e baratear os tratos culturais em nossas culturas e elevar o nível de controle de pragas e doenças, com expressiva redução do uso de produtos químicos nas lavouras. Essas são opções de equipamentos que os produtores já demandavam e que agora poderão encontrar no mercado”, conta o pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Aldemir Chaim, que lidera essa linha de pesquisa há mais de 30 anos.

 

Pulverização eletrostática para o pequeno produtor

O sistema criado pela Embrapa possibilita que todo pulverizador comum costal passe a operar com gotas eletrificadas. O produto chegará ao mercado por meio da parceria entre a Embrapa e a empresa Magnojet, de Ibaiti (PR). Segundo Eduardo Gonzaga, coordenador técnico da indústria paranaense, com o novo dispositivo no mercado, pequenos produtores passarão a contar com a opção de pulverizadores costais hidráulicos capazes de eletrificar as gotas. O equipamento é indicado para a maioria das culturas de pequeno porte, como olerícolas ou culturas em estufas, no uso de aplicações de tratamento fitossanitário, como inseticidas, fungicidas e acaricidas.

 

De acordo com Chaim, da Embrapa, a aplicação de agrotóxicos praticada por pequenos agricultores, atualmente, não difere muito daquela praticada nos anos de 1980. “Pouco ou nenhum investimento na eficiência de deposição dos agrotóxicos nos alvos foi acrescido”, revela o pesquisador.

 

Tecnologia pode beneficiar até 4,5 milhões de propriedades

O cientista salienta que dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam o crescimento da agricultura familiar, cujas unidades produtivas passaram de 4,1 milhões para 4,5 milhões e já representam 88% do número total de estabelecimentos agropecuários.

 

“Esse é o setor que coloca a maioria dos alimentos na mesa dos brasileiros e esse equipamento vai contribuir para a democratização de uma tecnologia de pulverização de ponta, capaz de gerar resultados, agregar economia de tempo, recurso e insumos, além de maior segurança nas operações”, acredita o cientista da Embrapa.

 

Na média, pulverizadores hidráulicos comuns, operando com eletrostática, agregam 40% a 60% de economicidade ao processo e de 50% a 60% de eficiência. Traduzindo, é possível realizar um controle de pragas com menos tempo, pela metade dos insumos (calda) e com o dobro de eficiência, aproximadamente.

 

A Magnojet informa que haverá algumas unidades do pulverizador para a venda ao público durante as solenidades de lançamento do produto no estande da empresa na Agrishow. O preço aproximado do pulverizador costal da Magnojet com o acessório eletrostático instalado, na capacidade de dez litros de calda, será de R$ 500,00; e com capacidade para 20 litros, R$ 600,00.

 

Culturas arbóreas também com pulverização eletrostática

Culturas arbóreas ou arbustivas que permitem a passagem de tratores nas entrelinhas também poderão contar com pulverização eletrostática graças a outra solução criada pela pesquisa. Desenvolvido em parceria com a empresa FM Copling, de Araraquara (SP), um conjunto de bicos pulverizadores com nova configuração torna viável a aplicação eletrostática em plantas arbóreas. Além disso, sensores detectam as dimensões da planta e interrompem o fluxo automaticamente assim que encontram um espaço vazio.

 

O responsável pela Pesquisa e Desenvolvimento da FM Cloping, Felipe Reis, explica que diferentemente dos sistemas eletrostáticos disponíveis no mercado, o novo equipamento tem como novidade a configuração do ramal de pulverização. Esse sistema fica protegido do fluxo de ar proveniente do ventilador, de forma a permitir uma melhor eficiência no consumo energético e maior penetração dos insumos químicos no dossel de folhas das árvores. Tal configuração favorece o sistema de eletrificação desenvolvido pela Embrapa, pois o protege de contaminantes, como folhas ou poeira, tornando-o mais robusto. Outro diferencial foi o uso de múltiplas fontes que alimentam os eletrodos para ionização das gotas, de modo a aumentar a resistência e a confiabilidade do equipamento.

 

Reis ainda ressalta que foi verificada melhoria significativa na distribuição e homogeneidade da calda pulverizada nas folhas durante os testes na cultura de citros, realizados pela empresa. “Esse fato acarreta um aumento da eficiência da formulação utilizada, uma vez que a distribuição se torna mais regular, pelo fato de que as eletrificações das gotas propelidas perfazem um recobrimento folhear em locais que a pulverização convencional não é capaz de atingir. Esses são parâmetros que se encaixam perfeitamente na demanda atual do mercado, pois reduzem o custo da operação e aumentam o desempenho do equipamento”, explica.

 

Conforme o pesquisador da Embrapa Aldemir Chaim, o equipamento visa atender as demandas de médios produtores de frutas e café, além de outras culturas arbustivas e arbóreas. Segundo ele, esses produtores enfrentam severos problemas para realizar o controle fitossanitário nas lavouras, devido aos constantes ataques de pragas e doenças.  Esse é um problema que acarreta grandes investimentos em defensivos, e várias pulverizações durante o ciclo de produção.

 

“O lançamento dessas tecnologias, pelas características da eletrostática, representam uma nova opção para o manejo de pragas dessas culturas e também demonstram o esforço e compromisso da pesquisa científica em viabilizar soluções mais econômicas, eficazes e seguras para a agricultura brasileira”, destaca Chaim.

 

Equipamento interrompe automaticamente a aplicação

Para receber o sistema de eletrificação das gotas de pulverização, o pulverizador da FM Copling precisou ser redesenhado para priorizar a redução no consumo de insumos e tempo de operação. Foram incluídos sensores projetados especificamente para reconhecer diferenças entre árvores e mudas, ação que interrompe a pulverização onde há falhas no plantio e durante manobras do equipamento, voltando a pulverizar tão logo os sensores detectem as plantas-alvo. A empresa pretende disponibilizar o produto no mercado dentro de dois meses.

 

Para adquirir o equipamento, na sua configuração mais completa, que inclui um conjunto de válvulas hidráulicas para controle dos bicos de pulverização, comandos elétricos, sensores blindados e o sistema de eletrificação dos bicos, o produtor deverá investir aproximadamente R$ 70 mil.

 

60% mais economia e menor impacto ambiental

A literatura científica aponta que quando a eletrostática é empregada com critério no controle de pragas e doenças de plantas, é capaz de promover uma redução de até 60% no volume de calda utilizada e aumentar sensivelmente a deposição de produto nas plantas, quando comparado aos métodos usuais. Resultados de testes e depoimento de uso de produtores em várias regiões do mundo indicam que a pulverização eletrostática, em alguns casos, pode proporcionar inclusive a redução no número de aplicações, ou seja, diminuição no custo do tratamento fitossanitário de diversas culturas.

 

 

Benefícios econômicos, sociais e ambientais

pulverização eletrostática em capacidade de gerar gotas com alta intensidade de carga estática, as quais ao se aproximarem de qualquer tipo de objeto formam um poderoso campo eletrostático, induzindo o aparecimento de forças de atração entre as gotas em voo e as plantas-alvo.

 

Aldemir Chaim explica que a pulverização eletrostática aumenta em pelo menos 40% a eficiência da aplicação de defensivos, reduzindo custo dos tratamentos fitossanitários, e diminui o impacto ambiental. Esse rendimento pode ser ampliado, se considerar outras variantes como o ambiente, a condição de aplicação, o produto aplicado, a cultura ou o tipo de equipamento.

 

O pesquisador ressalta que um dos custos mais elevados da produção agrícola é o controle de pragas e doenças das plantas. A eficiência desse controle está ligada à qualidade da aplicação de produtos. “Quanto mais eficientes forem as aplicações, melhor o efeito desses produtos e menor o custo desses controles, além do fato de que quanto melhor for o controle, maior a produtividade das culturas”, afirma.

 

Ele acredita que a relação entre custo e benefícios do uso de tecnologia de pulverização eletrostática se apresenta totalmente favorável. Ele esclarece que o maior custo dos pulverizadores equipados com a tecnologia é rapidamente amortizado pelo menor custo das operações e pela menor necessidade de insumos para se obter o mesmo resultado, quando comparado com a pulverização convencional.

 

 


 

Marcos Vicente (MTb 19.027/MG) 
Embrapa Meio Ambiente 
 
Telefone: (19) 3311 2611

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

 

Encontre mais notícias sobre:

ambiente,  agrotóxico,  manejo integrado de pragas,  mip,  45anos

Conteúdo relacionado

 

Soluções tecnológicasVer mais

Produto: Máquina, implemento, equipamento
imagem
Processo: Para obtenção de máquina, implemento, equipamento e protótipos
 
 
Domingo, 22 Abril 2018 02:18

Evento ocorre de 23 a 28 de abril na rede de unidades, inclusive em Americana, com atividades culturais gratuitas em parceria com o Pontos MIS, bate-papos, palestras, além da realização da Feira de Troca de Livros

 

Os livros são a tradução em versão escrita do imaginário do autor. Diversas obras tornam-se passaportes mais acessíveis para viagens incríveis.  Quando as histórias transcendem as páginas de uma obra literária e ganham as telas, a jornada fica ainda mais intensa. Sob a temáticaFilmes e Séries Inspiradas em Livros, a 3ª edição da Semana Senac de Leitura será realizada, de 23 a 28 de abril, em toda a rede Senac São Paulo. Haverá palestras, oficinas e workshops gratuitos à comunidade, juntamente da Feira de Troca de Livros.

 

Em Americana, os destaques da programação serão as atividades em parceria com o Museu da Imagem e do Som (MIS), além de palestras, bate-papos e oficinas. De 23 a 28 de abril, o Cinebiblio, exibirá os curtas-metragens Contos Esquecidos da Terra de Ninguém, Uma escolha, Papel Moeda e Sonhos. O bate-papo: A Importância De Um Cine Clube abre o cronograma de atividades. Consulte a programação de exibições no site:www.sp.senac.br/semanasenacleitura.

 

Já no dia 24 de abril, o bate-papo com a cineasta inglesa May Taherzadeh movimentará a unidade. Diretora do curta-metragem Uma Escolha (Mercy’s Blessing), premiado em 12 festivais de cinema mundo afora ao retratar as diferenças sociais em uma comunidade da África, ela conversará com o público sobre o filme e como o cinema pode ser utilizado na educação. Na mesma data, a oficina Pontos MIS: Meu Primeiro Livro Fotográfico,ministrada por Melissa Zymasnki, completa a programação.

 

No dia 25 de abril, as atividades seguem com o bate-papo Criação de Curta Metragem e a sessão de cinema Pontos MIS - O Vendedor de Sonhos, do diretor Jayme MonjardimE no dia 26, uma contação de histórias itinerante para crianças do SASA II, instituição parceira do Senac, e a oficina Pontos MIS: Laboratório de Atuação para Cinema, que será realizada no Museu de Arte Contemporânea de Americana, encerram as práticas promovidas pela unidade.

 

Feira de Troca de Livros

Além de todas essas atividades, a 3ª Semana Senac de Leitura em Americana terá também a tradicional Feira de Troca de Livros e gibis, todos os dias. Para participar, basta o visitante levar um livro de literatura nacional, estrangeira ou em quadrinhos até a biblioteca da unidade e trocar por outro de seu interesse. Excluem-se da iniciativa obras didáticas/educacionais, religiosas e com cunho político ou ideológico. A troca acontece de livro por livro e de gibi por gibi. Em caso de dúvidas, um monitor do Senac auxiliará o público.

 

Semana Senac de Leitura incentiva o conhecimento literário e estimula a reflexão sobre a importância da produção escrita como formadora de indivíduos críticos. Para fortalecer ainda mais isso, a Feira de Troca de Livros e gibis e a parceria com o MIS promovem a cultura e a educação dentro do universo audiovisual e literário, levando o público para outros universos”, comenta Sueli Miwa, gerente do Senac Americana.

 

Para mais informações sobre a programação do evento e as inscrições para as atividades, acesse o Portal Senac: www.sp.senac.br/semanadeleitura.

 

Ao todo, 60 unidades da instituição, incluindo os três campi do Centro Universitário Senac – em Santo Amaro, na capital; Águas de São Pedro e Campos do Jordão, no interior – promoverão a iniciativa.

 

Serviço:

 

Programação - 3ª Semana Senac de Leitura

Tema: Filmes e Séries Inspiradas em Livros

Data: de 23 a 28 de abril de 2018

Horário: segunda a sexta-feira, das 8 às 21 horas; e sábado, das 8 às 14 horas

Participação gratuita

 

Cinebiblio

Data: 23 de abril a 28 de abril de 2018

Horário: das 10h30 às 13h30

 

Bate-papo - A Importância de um Cine Clube

Data: 23 de abril de 2018

Horário: segunda-feira, das 15 horas às 15h40

 

Bate-papo - Cineasta Inglesa May Taherzadeh

Data: 24 de abril de 2018

Horário: terça-feira, das 14 horas às 15h30

 

Oficina Pontos MIS - Meu Primeiro Livro Fotográfico

Data: 24 de abril de 2018

Horário: terça-feira, das 18h30 às 22h30

 

Bate-papo - Criação de Curta Metragem

Data: 25 de abril de 2018

Horário: quarta-feira, das 10h20 às 11 horas

 

Sessão de cinema Pontos MIS - O Vendedor de Sonhos

Data: 25 de abril de 2018

Horário: quarta-feira, das 14 às 16 horas

 

Contação de História Itinerante

Local: SASA II

Data: 26 de abril de 2018

Horário: quinta-feira, das 14 às 16 horas

 

Oficina Pontos MIS - Laboratório de Atuação para Cinema

Local: Museu de Arte Contemporânea de Americana

Data: 26 de abril de 2018

Horário: quinta-feira, das 15h30 às 17h30

 

Feira de Troca de Livros

LocalBiblioteca do Senac Americana

Data: de 23 a 28 de abril de 2018

Horário: segunda a sexta-feira, das 8 às 21 horas; e sábado, das 8 às 14 horas

 

Local: Senac Americana

Informações e inscrições: www.sp.senac.br/semanadeleitura

 

 

 

Abril/2018   

                                                                                                            

Informações para a imprensa

 

ComTexto Comunicação Integrada

Rafael Gomes – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Tel.: 16 3324-5300/16 99749-3555

Fernanda Chiossi – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Tel.: 16 3324-5300/16 99766-2771

 

 

Fonte: Rafael Gomes

Domingo, 22 Abril 2018 02:15

OBRA INDICADA AO OSCAR E PREMIADA EM CANNES É ATRAÇÃO DA MOSTRA CINEMA E REFLEXÃO

 

*** “Visages, Villages” foi premiada em Cannes e finalista ao Oscar de melhor documentário de 2018

 

*** filme percorre regiões da França capturando imagens de forma mágica

 

*** exibições gratuitas acontecem em 25 e 26/04, quarta e quinta-feira, às 19h, no Instituto CPFL




Nesta semana, a mostra Cinema e Reflexão exibe “Visages, Villages”, um dos mais elogiados documentário dos últimos anos e finalista ao Oscar de melhor documentário de 2018.

 

As sessões acontecem nos dias 18 e 19/04, quarta e quinta-feira, às 19h, no Instituto CPFL, com entrada franca.

 

“Visages, Villages” (França, 2017, 89 min, 10 anos) retrata a experiência fotográfica e cinematográfica de duas grandes personalidades conhecidas por questionarem a cultura da exibição das imagens: a cineasta veterana do movimento da Nouvelle Vague Agnès Varda, vencedora do Oscar© honorário pelo conjunto da obra, e JR, fotógrafo e criador de galerias e exposições fotográficas ao ar livre. Juntos, eles viajam por algumas regiões da França, com um caminhão que captura imagens de forma mágica. O longa-metragem tem participação do diretor Jean-Luc Godard.

 

Para o crítico e cineasta Eduardo Escorel, o poder de encantamento do filme “tem origem, de um lado, na interação afetuosa entre Varda e JR, que ela chama de ‘amizade à primeira vista’; e de outro na relação cordial que ambos estabelecem com seus personagens ao longo da viagem de dezoito meses através da França, em um pequeno caminhão adaptado como cabine fotográfica e impressora de cópias em grande formato”.

 

No documentário “sobra espaço para Varda expor, mesmo que indiretamente, seus pensamentos feministas e a maneira de destacar a mulher, seu espaço no mundo, seus pensamentos e sentimentos”, acrescenta o crítico Luiz Santiago.

 

Multipremiado, “Visages, Villages” foi vencedor do prêmio Olho de Ouro no Festival de Cannes; melhor filme no Festival de Aifa; prêmio do público de melhor documentário no Festival de Toronto; melhor documentário e melhor diretora pela Alliance of Women Film Journalists; melhor documentário nos prêmios Lumière; melhor documentário pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Nova York, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Los Angeles, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de San Francisco, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Toronto, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Boston, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Denver, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Seattle, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Austin, pela Associação dos Críticos Cinematográficos de Vancouver, pela Associação dos Críticos Cinematográficos Online e pela Associação Nacional dos Críticos Cinematográficos (EUA); além do prêmio do público de melhor documentário internacional na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo.

 

A mostra Cinema e Reflexão tem curadoria de Jurandir Müller e Francisco Cesar Filho. O Instituto CPFL fica à rua Jorge de Figueiredo Corrêa 1632, Chácara Primavera, Campinas. A sala Umuarama abre ao público a partir das 18h.

 

Fonte: Associação do Áudio Visual

Tapeçaria Maracanã

Programa de reconstrução capilar

 Revista Época

Anunciante Clements

© 2017 - Grupo Interativo Negócios | Jornal Sumaré | Jornal Interativo | Site Interativo

Rua Conceição, 233 - CEP 13.010-916 - Campinas/SP

Fones: (19) 3384-6388 / 99283-6239 Whatsapp

E-mail: contato@jornalsumare.com.br

 

Edições semanais com 5 mil exemplares distribuídos em 175 pontos em toda cidade,
Em supermercados, bancas de revistas e jornais e algumas empresas.