Segunda, 08 Outubro 2018 12:02

Proibição de buzinas de trem no período noturno e identidade visual do município são destaques da sessão desta terça-feira, 09 Destaque

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)
Proibição de buzinas de trem no período noturno e identidade visual do município Proibição de buzinas de trem no período noturno e identidade visual do município Câmara de Sumaré

A Câmara Municipal vota nesta terça-feira, 09 de outubro, projetos que propõem lei para proibir buzina de trem após às 22 horas e antes das seis da manhã, para valorizar o surdo com campanhas e conscientização e para regulamentar a identidade visual do município. A 31ª sessão ordinária do ano também discutirá temas de todas as áreas e segmentos. Os vereadores levarão ao plenário reivindicações dos moradores e também propostas de melhorias, seja em forma de indicações, requerimentos e moções.

 

O vereador Ronaldo Mendes (PSDB) apresenta o projeto de lei nº 153/18 com o objetivo de proibir o uso da buzina por composições ferroviárias que trafegam pelo perímetro urbano de Sumaré entre os horários das 22h00 às 6h00. 

 

“Atualmente ocorre um abuso quanto ao uso do apito de trens, principalmente durante a noite, o que gera reclamação por parte da população. Composições ferroviárias que trafegam pelo perímetro urbano no período noturno, ao que tudo sugere, são conduzidas por maquinistas que fazem questão de apitar longamente, quando não, inúmeras vezes, atormentando os moradores próximos aos trilhos e impedindo o seu merecido descanso, depois de um longo dia de lidas”, justificou Ronaldo Mendes.

 

O prefeito Luiz Dalben apresenta para discussão e votação o projeto de Lei nº 169/18 que autoriza a Prefeitura de Sumaré a implantar o Manual de Identidade Visual do município. A marca é o maior patrimônio de um Governo, Empresa ou Instituição. Ela constitui na manifestação de todos os objetivos a que se quer demonstrar uma atividade. Por isso, deve-se ter maior cuidado em produzi-la, obedecendo todas as características originais: fonte, cores, formas e proporções.

 

O prefeito salientou que, por trás da marca há mais do que um logotipo, há um DNA, um conjunto de informações e benefícios. “É uma história contada em poucos detalhes. E aí está a importância dela precisar ser tão clara e eficiente”, comentou na justificativa do projeto.

 

Um dos fundamentos desta iniciativa, segundo o prefeito, é a economia dos cofres públicos, uma vez que, a cada novo governo a confecção de uma nova logomarca, trocas de símbolos de identidade visual, criados em vários governos, bem como toda a mudança de materiais de expediente, pinturas, criações gráficas, mudança visual de veículos etc., geram excessivos ônus para o orçamento público.

 

O vereador Rudinei Lobo (PRB) apresenta o projeto de lei nº 171/18 para incluir no Calendário Oficial de Eventos do Município o “Dia Municipal do Surdo” que será comemorado anualmente em qualquer dia da semana em que cair o dia 26 de setembro.

 

Os poderes Legislativo e Executivo poderão realizar ou apoiar eventos relacionados com o tema, objetivando a conscientização, inclusão e combate ao preconceito.

 

“O objetivo é garantir a inclusão e a conscientização ao acesso das pessoas surdas à comunicação, à informação e à educação. A legislação federal determinou uma série de medidas a serem tomadas pelos Estados Membros, medidas estas que necessitam de comando legal no âmbito estadual e municipal”, comentou o vereador.

 

O prefeito também apresenta o projeto de lei nº 166/18 que denomina a USF (Universidade Saúde da Família) Veccon de “José Carlos Luciani de Oliveira”

 

 

Fonte: Câmara de Sumaré

 

 

Ler 103 vezes

Tapeçaria Maracanã

Programa de reconstrução capilar

 Revista Época

Anunciante Clements

© 2017 - Grupo Interativo Negócios | Jornal Sumaré | Jornal Interativo | Site Interativo

Rua Conceição, 233 - CEP 13.010-916 - Campinas/SP

Fones: (19) 3384-6388 / 99283-6239 Whatsapp

E-mail: contato@jornalsumare.com.br

 

Edições semanais com 5 mil exemplares distribuídos em 175 pontos em toda cidade,
Em supermercados, bancas de revistas e jornais e algumas empresas.