Segunda, 13 Agosto 2018 11:21
 Os números são assustadores. Os últimos dados do IBGE, do final de julho, são de 13 milhões de desempregados no Brasil, ou 12,4% da População Economicamente Ativa. Um pouco melhor que os 13,1% do primeiro trimestre do ano, mas ainda assustador.
 
 
     Um pânico para os pais e mães de família que, sem ter onde trabalhar, não têm como alimentar os filhos e outros parentes, como é o caso em muitas situações. Sem emprego o cidadão e a cidadã ficam com a autoestima muito abalada.
 
 
     O que acontece com o desemprego é, também, a alimentação de um círculo vicioso desalentador para a economia. Sem salário a pessoa não compra e, sem ter quem compre, o comércio definha e demite. Isto significa que a indústria também demite, pois não tem para quem vender seus produtos no varejo.
 
 

    O Brasil está patinando no desemprego e um dos resultados é a tensão social e a violência como um dos impactos mais indesejados. Foram 63.880 mortes por homicídio em 2017, um recorde histórico. Sete assassinatos por hora, um horror. Números superiores aos de muitas guerras.

 
 
    É preciso dar um basta nessa situação e é para já. É urgente que os candidatos a presidente e também aos governos estaduais tenham programas muito consistentes e realistas de combate ao desemprego de modo absolutamente prioritário.
 
 
      O mesmo deve ser dito em relação ao estado de São Paulo. São 13,5 milhões de desempregados em território paulista, correspondendo a 14% da força de trabalho, índice superior à média nacional.
     No estado mais rico e desenvolvido do país, 3,5 milhões de desempregados, quase 25% dos desempregados em todo Brasil! É fundamental que todas as forças do estado de São Paulo estabeleçam com urgência um Pacto pelo Emprego. Um conjunto de ações para a criação imediata de emprego para movimentar a economia, em um círculo virtuoso de produção e geração de renda. Multiplicação de frentes de trabalho, maior incentivo às startups, democratização no acesso a cursos técnicos – são muitas ações que podem ser feitas.
 
 
     Uma das alternativas imediatas seria revitalizar os cerca de 80 aeroportos de porte pequeno e médio existentes no interior paulista, para que sejam capacitados a também possibilitar o transporte de cargas. São 80 polos regionais que podem acelerar o transporte aéreo de cargas, melhorando a logística e cortando custos, como consequência da descentralização das operações. Hoje, de cada 10 quilos de cargas transportadas no país, apenas o equivalente a 400 gramas são transportadas por via aérea.
 
 
      Desde 2011, por exemplo, existe um projeto de transformação do Aeroporto Moussa Tobias, em Bauru, em uma plataforma logística na região central do estado. Mas o projeto ainda não foi concretizado, em prejuízo de centenas de empresas de Bauru e região que encontram muitas dificuldades no escoamento de suas mercadorias. Com os custos de transporte maiores, não podem contratar mais gente e assim por diante.
    Criar emprego é hoje prioridade absoluta no Brasil e também no estado de São Paulo. Não podemos perder mais tempo. É hora de arregaçar as mangas e pensar no futuro de nosso país e do povo paulista. Basta acreditar e ter vontade política que dá para fazer.
 
 
Dirceu Dalben
 
 
Fonte: Assessoria Dirceu Dalben
 
 
Quinta, 09 Agosto 2018 15:31

Alckmin, Bolsonaro, Marina, Ciro, Boulos, Meirelles, Álvaro Dias e Cabo Daciolo estão confirmados

 

Os principais candidatos à Presidência da República se encontram pela primeira vez na noite de hoje para debater propostas e ideias para o país. Confirmaram presença no debate da Rede Bandeirantes os candidatos Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (Psol), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT). O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – nome confirmado pelo PT como candidato mesmo estando preso – ainda briga na Justiça para participar do encontro.

 

Nessa quarta-feira, os advogados da campanha petistas entraram com um recurso contra a decisão da juíza Bianca Arenhart, do Tribunal Regional Federal da 4º Região (TRF-4), que negou o pedido para que o ex-presidente Lula participe do debate. No mandado de segurança, a equipe do ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão disse que a execução provisória da pena “não pode ter o condão de  cassar ou suspender os direitos políticos, ou mesmo sua liberdade de expressão e de comunicação”,  do petista, que foi aclamado candidato do partido na convenção nacional, em 4 de agosto.

 

O petista foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão no caso do triplex do Guarujá e está preso desde abril, em Curitiba. Na segunda-feira, ao negar o pedido da defesa de Lula, a juíza Bianca alegou questões processuais e disse entender que o PT não tem legitimidade para fazer o pedido em nome do ex-presidente.

O novo recurso foi encaminhado ao presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores. No pedido, os advogados insistem em que Lula participe do debate, nem que seja através de vídeos gravados de dentro da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Enquanto Lula tenta entrar no primeiro debate por medida judicial, o candidato a vice-presidente na chapa petista, Fernando Haddad, afirmou ontem que pretende fazer um debate paralelo ao que será transmitido na noite de hoje. Ao lado da deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB), Haddad quer comentar e responder aos temas do debate por meio das redes sociais e com uso de um telão.

 

Ausências O candidato do Partido Novo, João Amoedo, também disse ontem que sua equipe avalia entrar na Justiça para que ele possa participar dos debates eleitorais na televisão. “Estamos avaliando. A gente gostaria de já participar deste debate nesta quinta (hoje). Entendemos que temos uma proposta diferente e o primeiro colocado nas pesquisas hoje são os 60% da população que não sabe em quem votar”, disse o candidato.

A lei determina que apenas os candidatos de partidos ou coligações que tenham no mínimo cinco representantes no Congresso podem participar de debates na TV. Criado em 2016, o Novo não tem nenhum parlamentar no Congresso. Além de Amoedo, não participam do debate da Band os candidatos José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU) e João Goulart Filho (PPL).

 

Regras Para o debate desta noite, ficou definido, após sorteio, que no primeiro bloco o candidato do Psol, Guilherme Boulos, vai abrir o debate escolhendo para quem fará a primeira pergunta, e o candidato do MDB, Henrique Meirelles, fará a última pergunta. No segundo e quarto blocos do debate, os candidatos responderão às perguntas de jornalistas. No terceiro bloco eles voltam a trocar perguntas e no último bloco fazem as considerações finais.

 

Artigo do Portal www.em.com.br

 

 

Quarta, 08 Agosto 2018 16:38

Publicado em 08/08/2018 - 15:08

 

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil  Brasília

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli foi eleito hoje (8) pelo plenário para ocupar o cargo de presidente da Corte a partir do próximo mês. A votação foi feita de maneira simbólica porque Toffoli é o vice-presidente da Corte e já ocuparia o cargo, conforme o regimento interno do STF.

 

Toffoli entrará no cargo atualmente ocupado pela ministra Cármen Lúcia, que está há dois  anos na presidência do STF e não pode continuar no posto. O novo vice-presidente será o ministro Luiz Fux. Eles tomarão posse no dia 13 de setembro, e o mandato é de dois anos. 

 

Após a votação, Toffoli agradeceu aos colegas e disse que terá grandes desafios à frente do tribunal e do Judiciário brasileiro.

 

"A responsabilidade neste encargo é enorme, os desafios são gigantescos, mas, se por um lado, temos essa dificuldade, até pela gestão tranquila e firme que Vossa Excelência [ministra Cármen Lúcia] teve nestes dois anos tão difíceis pela nação brasileira, com tantas demandas chegando a este STF e ao Conselho Nacional de Justiça, por outro lado, é muito facilitado”, disse Toffoli.

 

Toffoli tem 50 anos e foi nomeado para o STF em 2009 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes de chegar ao Supremo, o ministro foi advogado-geral da União e advogado de campanhas eleitorais do PT.

 

Edição: Nádia Franco
 
 
Fonte: Agência Brasil
 
 
Domingo, 08 Abril 2018 00:23

Ex-presidente foi condenado em segunda instância no caso do triplex.

 

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou na noite deste sábado (7) a Curitiba, onde começará a cumprir a pena de 12 anos e 1 mês de prisão pela condenação no caso do triplex em Guarujá (SP).

Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele é o primeiro ex-presidente do Brasil condenado por crime comum.

Lula pousou no aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, às 22h01. De lá, seguiu de helicóptero até a Superintendência da PF na capital paranaense, onde pousou às 20h28.

Por ordem de Moro, o ex-presidente ficará preso em uma sala especial de 15 metros quadrados, no 4º andar do prédio da PF, com cama, mesa e um banheiro de uso pessoal. Também foi autorizada a instalação de um TV no local.

espaço reservado é um direito previsto em lei.

 

mandado de prisão foi expedido pelo juiz Sérgio Moro na início da noite de quinta-feira (5) e, na sequência, Lula seguiu para a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP).

O ex-presidente se entregou à Polícia Federal quase 26 horas após o prazo dado pelo juiz para que ele se apresentasse voluntariamente.

Lula saiu a pé do sindicato, às 18h42, e caminhou até um prédio próximo, onde equipes da Polícia Federal o aguardavam. A saída teve de ser feita dessa maneira porque, por volta das 17h, Lula tentou sair de carro, mas foi impedido pela militância.

 

De carro, Lula foi levado por agentes até a Superintendência da PF em São Paulo, onde realizou exame de corpo de delito. Na sequência, seguiu de helicóptero para o aeroporto de Congonhas e, de lá, decolou em avião com destino a Curitiba.

ex-presidente anunciou que se entregaria neste sábado, em um discurso feito em frente à sede do sindicato. A fala durou 55 minutos e ocorreu durante ato religioso em homenagem a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que completaria 68 anos neste sábado. Lula disse que não iria “correr”, “nem se esconder”.

 

Ele também criticou as decisões do Judiciário e disse que vai provar sua inocência.

 

Mandado de prisão

 

O ex-presidente é acusado de receber o triplex no litoral de SP como propina dissimulada da construtora OAS para favorecer a empresa em contratos com a Petrobras. O ex-presidente nega as acusações e afirma ser inocente.

Lula foi condenado por Moro na primeira instância, e a condenação foi confirmada na segunda instância pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

A defesa tentou evitar a prisão de Lula com um habeas corpus preventivo no Supremo Tribunal Federal (STF), mas o pedido foi negado pelos ministros, por 6 votos a 5, em votação encerrada na madrugada de quinta.

 

Na tarde de quinta, o TRF-4 enviou um ofício a Moro autorizando a prisão, e o juiz expediu o mandado em poucos minutos.

Os advogados de Lula, porém, questinaram a ordem de prisão porque ainda poderiam apresentar ao TRF-4 os chamados "embargos dos embargos de declaração".

Depois, a defesa ainda tentou evitar a prisão com recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no STF, que também foram rejeitados.

 
Sala especial em que o ex-presidente Lula ficará preso, na sede da PF em Curitiba (Foto: Infográfico: Rodrigo Cunha/G1)Sala especial em que o ex-presidente Lula ficará preso, na sede da PF em Curitiba (Foto: Infográfico: Rodrigo Cunha/G1)

Sala especial em que o ex-presidente Lula ficará preso, na sede da PF em Curitiba (Foto: Infográfico: Rodrigo Cunha/G1)

 

Fonte G1

Quarta, 04 Abril 2018 00:06

Punição teria sido dada à rede social por suposta divulgação de pesquisa fraudulenta em Timbó (SC)

 

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anulou, na sessão desta terça-feira (3), multa de R$ 200 mil aplicada contra o Facebook Serviços On-line do Brasil por suposta divulgação de pesquisa eleitoral fraudulenta e sem prévio registro sobre intenção de votos para prefeito de Timbó (SC) em 2016. A Corte Eleitoral entendeu que a multa não poderia ser imposta no caso, porque não houve pesquisa divulgada nesse sentido pelo Facebook na ocasião. 

 

Apesar de julgar improcedente a representação contra o Facebook, o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) havia mantido a multa diária de R$ 20 mil por eventual descumprimento de medida liminar para a exclusão da pesquisa, o que teria durado dez dias. 

 

Ao acolher o recurso do Facebook, o relator, ministro Admar Gonzaga, afirmou que o caso revela uma excepcionalidade, “uma vez que não se efetivou a divulgação da pesquisa, da qual o juiz eleitoral determinou a suspensão de sua veiculação, mas, sim, sucedeu apenas o chamamento a uma pesquisa on-line de intenção de votos, quando o resultado, afinal, não chegou a ser veiculado”, esclareceu o ministro ao lembrar o que foi mencionado, inclusive, na própria decisão do TRE. 

 

“Então, no caso, o juiz de primeiro grau se precipitou em determinar a retirada daquilo que não havia sido publicado”, destacou Admar Gonzaga. 

 

Segundo o relator, o TRE catarinense, assim, ao julgar improcedente a representação, reconheceu que o fato não se enquadrava nas hipóteses legais de divulgação de pesquisa fraudulenta ou sem prévio registro na Justiça Eleitoral. Diante disso, o ministro destacou não ser cabível a aplicação da multa diária imposta contra a rede social. 

 

EM/JP, DM 

 

Processo relacionado: Respe 31073

Tapeçaria Maracanã

Programa de reconstrução capilar

 Revista Época

Anunciante Clements

© 2017 - Grupo Interativo Negócios | Jornal Sumaré | Jornal Interativo | Site Interativo

Rua Conceição, 233 - CEP 13.010-916 - Campinas/SP

Fones: (19) 3384-6388 / 99283-6239 Whatsapp

E-mail: contato@jornalsumare.com.br

 

Edições semanais com 5 mil exemplares distribuídos em 175 pontos em toda cidade,
Em supermercados, bancas de revistas e jornais e algumas empresas.